terça-feira, 23 de janeiro de 2018

A LEI DO “TERCEIRO EXCLUÍDO” E AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ ®

Um dos produtos da sabedoria humana  foi a percepção de que o pensamento é regido por três leis fundamentais sendo que a terceira destas leis foi batizada com o nome de “Lei do Terceiro Excluído” (principium tertii exclusi ou tertium non datur – em latim).

De acordo com essa lei, para toda proposição (afirmação), do ponto de vista de sua veracidade, só há duas possibilidades - ou ela é verdadeira ou ela é falsa – logo, neste sentido, não há um terceiro modo de classificar uma proposição – daí o nome de batismo desta terceira lei do pensamento.

Embora as TJ nem sempre se utilizem da sabedoria humana (pelo menos é isso o que já alegaram mais de uma vez, como veremos em futuro artigo deste Blog) ao classificar doutrinas religiosas como verdadeiras ou falsas, claramente, se utilizam da (sabedoria humana que percebeu a) “lei do terceiro excluído” como, muito claramente, revelam as citações encontradas em sua literatura e abaixo transcritas:

19 A verdade não admite a existência de todas as espécies divergentes de doutrinas religiosas no mundo. Por exemplo, ou os humanos têm uma alma que sobrevive à morte do corpo, ou não têm. Ou a terra existirá para sempre, ou não. Ou Deus acabará com a iniqüidade, ou não. Essas e muitas outras crenças ou são certas, ou são erradas. Não pode haver duas verdades, quando uma não concorda com a outra. Ou uma ou a outra é verdadeira, mas não ambas. Crer sinceramente em alguma coisa e praticá-la não a torna certa, se realmente for errada.
Lv. Poderá Viver – cap. 3 p. 32 p. 19

Ainda existe outra coisa a considerar. O próprio Jesus disse: “Os verdadeiros adoradores adorarão o Pai com espírito e verdade.” (João 4:23) A verdade não se contradiz. Tampouco todos os ensinos contraditórios das muitas religiões do mundo podem ser verdadeiros. Assim, devem existir algumas pessoas sinceramente religiosas que não são verdadeiros adoradores por não adorarem a Deus de acordo com a verdade.
S.22/5/81 p.4
Visto que as TJ utilizam a “lei do terceiro excluído” quando se trata de classificar doutrinas religiosas como verdadeiras ou falsas, sendo as doutrinas das TJ, doutrinas religiosas, também cabe aplicar às suas doutrinas a referida lei.

Neste artigo, porém, ao invés de citar exemplo ou exemplos concretos de ensinos mutantes das TJ ao longo do tempo, vou usar o seguinte exemplo "religioso" fictício:

Esta esfera azul pode ou não estar ocultando uma outra figura geométrica de mesma ou de cor ou cores diferentes da esfera. Imaginando que isso é um tema bíblico, considere o seguinte:

-  A religião “X” ensinou, apoiando seu ensino em textos bíblicos, isso durante 10 anos, que a esfera azul está ocultando um quadrado, um quadrado completamente azul.
- Já a religião "Y" ensinou, também como base na Bíblia e nestes mesmos 10 anos, que a esfera azul está ocultado um triângulo, um triângulo completamente vermelho.

- Ocorre que a mesma religião "X", nos últimos 5 anos, passou a ensinar que a Bíblia, NA VERDADE, revela que não há nenhuma figura geométrica sendo encoberta pela esfera azul.

- Por sua vez, a religião "Y" (sob a alegação de que Deus lhes proveu com o conhecimento exato desta doutrina), passou a adotar e ensinar como VERDADE o entendimento anterior da religião "X", isso é, a esfera azul está ocultado um retângulo, um retângulo completamente azul.

       Ao se deslocar a esfera, porém, o que se revela é: 


Aplicando a terceira lei do raciocínio e alguns textos bíblicos  a esta crença das religiões "X" e "Y" podemos concluir, entre outras possibilidades, que estiveram:

1 - CRENDO E ENSINANDO UMA FALSIDADE: Os membros das religiões "X" e "Y", quanto a esta "doutrina", criam e ensinavam o erro, como se verdade fosse! Após as mudanças de entendimento, mudaram de um erro para o outro, assim, nem o entendimento anterior nem o novo são, efetivamente, A VERDADE, AQUILO QUE A BÍBLIA REALMENTE ENSINA. (é isso o que nos garante a terceira lei do raciocínio).

2 - RESPONSABILIDADE PELO PROVIMENTO DO ERRO DE DE SUA MANUTENÇÃO: Pela aplicação de textos como Tt. 1:1 (Deus não pode mentir), Dt. 18:20-22 (profeta que fala aquilo que Jeová não mandou falar) temos que Jeová não usa como matéria prima o erro, a mentira e o engano e o fato das religiões "X" e/ou "Y" atribuírem seus ensinos a Jeová não o coloca, realmente, "em cena".

3 -  SE A VERDADE CHEGAR... : Se, em algum momento, as religiões "X" e/ou "Y" vierem a ensinar que a esfera azul, na verdade, está ocultando um retângulo amarelo de contorno preto, terão chegado à verdade mas, se este entendimento também vier a ser abandonado com o tempo, irão retornar para a falsidade, assim, até  mesmo  a verdade final sobre uma doutrina qualquer deverá ser, na melhor das hipóteses, encarada como "aquilo no que cremos hoje" (v. o Artigo - Verdade Atual? - neste Blog).

      4 - "ETERNOS" APRENDIZES: Os membros das religiões "X" e "Y", serão como os reprovados homens e mulheres descritos em 2Tm. 3:1 a 7, pois, graças à religião da qual cada um é membro, estarão "estão sempre aprendendo, sem nunca conseguir chegar a um conhecimento exato da verdade"!

5 -  A SINCERIDADE DE CADA MEMBRO DAS RELIGIÕES "X" E "Y" DE NADA APROVEITA: Se correto o trecho final da segunda transcrição de literatura das TJ feita acima, isso é:

... Assim, devem existir algumas pessoas sinceramente religiosas que não são verdadeiros adoradores por não adorarem a Deus de acordo com a verdade.

E se, de fato, Jeová fosse o responsável pelos ensinos e mudanças de ensino das religiões "X" e "Y" sobre a doutrina consideradas, temos que seria o próprio Jeová quem iria garantir a inutilidade dos membros sinceros das religiões "X" e "Y", afinal, embora Jeová procure verdadeiros adoradores (Jo. 4:23 TMN), ao lhes prover com ensinos errôneos, Jeová também os descartaria "por não lhe adorarem com a verdade"!


6 -  VERDADEIROS ADORADORES - NA MÉDIA: Conforme o trecho retranscrito acima, "se adorar a Deus de acordo com a verdade" significa conhecer cada verdade do conjunto inteiro de verdades que se há para conhecer, Jeová só encontra verdadeiros adorares se "tirar pela média" (se a exigência for de 100%, não houve, não há, nem haverá adoradores elegíveis no mundo e isso se dará por culpa do próprio Jeová, por ter escolhido revelar suas verdades gradualmente)!


E se Jeová, em função disso, escolhe adoradores pela média, então poderão, ao menos em tese, ser encontrados adoradores aceitáveis, na religião "X" na "Y" e em muitas outras!   

Creio (mas posso estar errado) que nenhuma TJ terá dificuldade em concordar com pelo menos algumas das afirmações deste artigo e isso terá muito a ver com o fato de não ter trabalhado exemplos concretos de mudança de doutrina ocorridas entre as TJ (creio que se assim tivesse feito um número muito maior de "poréns" iriam surgir). Não obstante: 

Não pode haver duas verdades, quando uma não concorda com a outra. Ou uma ou a outra é verdadeira, mas não ambas
afinal:
A verdade não se contradiz. Tampouco todos os ensinos contraditórios das muitas religiões do mundo podem ser verdadeiros.

      Se ensinos contraditórios de religiões diversas não podem ser verdadeiros o que dizer de ensinos contraditórios de uma mesma religião, seja ela "X", "Y" ou "TJ" (pense nisso e nos seis pontos acima listados).

------------------------------
Quer responder? Quer comentar? Quer discordar (no todo ou em parte)? Quer sugerir alguma melhora no texto? Quer indicar alguma necessária correção gramatical?


Escreva para mim - 1tessalonicenses5.21@gmail.com (desde já - agradeço)

Um comentário:

  1. Por sua vez, a religião "Y" (sob a alegação de que Deus lhes proveu com o conhecimento exato desta doutrina), passou a adotar e ensinar como VERDADE o entendimento anterior da religião "X", isso é, a esfera azul está ocultado um retângulo, um retângulo completamente azul. Penso que na palavra ocultado, você quis dizer (ocultando).

    ResponderExcluir